agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Amigo Bicho melhora qualidade de vida de animais abrigados

Programa possibilita a voluntários contribuírem com a sociabilização dos cães e gatos
Postado em: 26/07/2021 às 18:13
Autor: Redação
Amigo Bicho melhora qualidade de vida de animais abrigados

O Programa Municipal de Voluntariado do Bem-Estar Animal "Amigo Bicho" está em execução desde maio deste ano com o objetivo de contribuir com a melhora da qualidade de vida e com a sociabilização dos animais abrigados pela Coordenadoria Executiva de Bem-Estar Animal até sua adoção, por meio de serviços voluntários.

O programa possibilita que os voluntários possam realizar caminhadas com os animais, além de adestramento e tratamento psicológico de cães e gatos acolhidos pelo Município e que estão à espera de adoção. Também é permitida a estadia dos animais, aos finais de semana, nas residências dos voluntários.

A coordenadora de Bem-Estar Animal da Prefeitura, Carol Mattos Galvão, conta que a iniciativa visa facilitar o contato das pessoas com os bichinhos para estimular futuras adoções. "O nosso foco é a conscientização das pessoas de que os abrigos são locais de passagem e não locais onde os animais devam permanecer o resto das vidas. Diante disso, surgiu a ideia do programa 'Amigo Bicho', que inclusive foi instituído por lei, para que exista uma oportunidade para esses animais socializarem, perderem os traumas, visto que a maioria é resgatada de maus tratos e abandono, e fazer com que eles restabeleçam a confiança no ser humano. Dessa forma, eles têm a oportunidade de serem vistos e de conseguirem lares definitivos", explica.

Carol destaca que o trabalho do Município em torno dessa questão atua com três pilares, que são a conscientização, a divulgação da adoção e a socialização dos animais. "Araraquara tem um protocolo de recolhimento de animais atropelados, feridos gravemente, agônicos, idosos, debilitados, fêmeas no cio e filhotes sem tutor. O Município resgata mediante denúncia e solicitação de fiscalização, mas muitas pessoas, além de não aceitarem o protocolo e acharem que todos os animais têm que ser recolhidos, não se preocupam para onde esses animais vão. Existe uma política pública muito interessante aqui na cidade, onde os animais são bem assistidos e têm todo suporte veterinário, mas o fato é que eles ficam em canis até serem adotados e isso pode levar anos", acrescenta. 

Segundo ela, aproximadamente 25 voluntários participam do programa atualmente. "Não são todos os voluntários que vão, mas os cães passeiam todos os dias, de segunda a sexta-feira. Eles estão bem mais sociáveis, não estão mais estranhando as pessoas, porque antes eles estavam acostumados só com os tratadores. O programa tem mudado muito a realidade dos bichinhos", completa.

 

Inspirações

A criação da lei teve como uma de suas inspirações a história do cachorro Tiquinho, que foi abandonado no Parque Pinheirinho, vivia triste e não aceitava nenhum humano por perto. Ele teve sua história contada no Facebook da Coordenadoria de Bem-Estar Animal. Carol Mattos Galvão conta que foi procurada em fevereiro pela voluntária Bruna Rocha, que se ofereceu para passear com os bichinhos. Além dela, outra pessoa que teve participação importante para o desenvolvimento do projeto foi Cláudia Fucci, que é terapeuta canina e voluntária, que se sensibilizou e se propôs a fazer um trabalho com o cãozinho.

"Foi uma sucessão de coisas. A Bruna me procurou, eu desenvolvi o projeto, enviei para a chefia de gabinete, houve uma conversa com o jurídico e veio a legislação. Nesse meio tempo, como estávamos postando sobre o Tiquinho, a Cláudia se propôs a ajudar. Quando estávamos formalizando o projeto, a Cláudia apareceu e veio tudo a calhar", explica Carol.

Desde então, mais pessoas passaram a procurar a coordenadoria e se ofereceram para passear com os cães abrigados.

 

Como participar

O interessado em prestar o serviço voluntário deverá preencher termo de adesão ao serviço voluntário municipal, que será analisado pela Coordenadoria Executiva de Bem-Estar Animal. A ficha de inscrição deve ser solicitada pelo e-mail [email protected].

Considera-se serviço voluntário a atividade não remunerada prestada por pessoa física maior de 18 anos ou por pessoa jurídica, sem gerar vínculo empregatício ou estatutário. Ao firmar o termo de adesão ao serviço voluntário municipal, caberá ao interessado informar qual a sua disponibilidade de horário e os dias em que prestará os serviços por ele propostos.

Antes de iniciarem a prestação de serviços junto à Coordenadoria Executiva de Bem-Estar Animal, os voluntários autorizados receberão orientações dos profissionais habilitados e qualificados. Os serviços desempenhados pelos voluntários ocorrerão em local, dias e horários pré-determinados e estipulados pela coordenadoria.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3339-4441.