agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Campeã da São Silvestre visita Araraquara

Maria Zeferina Baldaia participa da organização da Corrida de Santo Onofre 2021
Postado em: 30/12/2021 às 15:16
Autor: Carlos André de Souza
Campeã da São Silvestre visita Araraquara
Maria Zeferina em dois momentos: campeã da São Silvestre e em visita ao Museu de Reminiscências. Foto: Rodrigo Sossolote

Vinte anos depois de sagrar-se campeã da tradicional Corrida de São Silveste, a maratonista Maria Zeferina Baldaia visitou Araraquara nesta quinta-feira (30). Ela também é esposa de Paulo da Silva, proprietário da Paulinho Sports, empresa de Sertãozinho-SP que é parceira da Prefeitura de Araraquara na organização da prova, por isso a atleta veio à cidade para trabalhar nos detalhes da corrida. 

Em um intervalo do trabalho, a campeã aproveitou para conhecer o Museu de Reminiscências Esportivas Paschoal Gonçalves da Rocha, onde conheceu uma parte da rica história esportiva da cidade.

Nascida no município mineiro de Nova Módica, Maria Zeferina Baldaia foi para Sertãozinho-SP com os pais e mais nove irmãos aos dois anos de idade. Sua vida era difícil, trabalhava na lavoura junto com seus pais para sustento da sua família. Começou a competir aos 12 anos de idade, quando já se destacava mesmo correndo descalça, pois não tinha condições de comprar um tênis. Sem técnico e sem acompanhamento, porém com apoio da família, ela se dedicava cada vez mais em busca de seu sonho. 

Aos 20 anos conseguiu seu primeiro patrocínio da Secretaria Municipal de Esportes de Ribeirão Preto, deixou o trabalho de doméstica e da lavoura, e passou a ser babá. Conseguia trabalhar meio período para poder treinar no tempo restante, e conseguiu seu primeiro treinador, Cláudio Ribeiro. Em 1997 consegui um patrocínio que lhe possibilitou dedicação integral ao esporte. A superação foi coroada com conquistas que a tornaram conhecidas mundialmente, como a Volta Internacional da Pampulha-MG (2001), Corrida de Reis em Cuiabá-MT (2002), Meia Maratona do Rio de Janeiro (2008) e a Maratona Internacional de São Paulo (2008). Mas certamente a mais marcante foi o título da São Silvestre de 2001.

Em Araraquara, perguntada sobre a sensação que lhe vem ao lembrar da São Silvestre de 2001, Maria Zeferina destaca que a conquista ainda parece um sonho para ela. "É uma coisa que até hoje me faz sentir que estou sonhando. Não dá para acreditar que tudo aconteceu, apesar de já se passar 20 anos. A sensação é de gratidão. Tenho que agradecer muito porque foram 15 anos de luta, correndo atrás desse sonho de um dia estar lá em São Paulo disputando a São Silvestre. Em 2001, quando deu o tiro de largada e eu me vi ali junto com as africanas, com atletas do mundo inteiro, foi a realização de um sonho que teve muita superação, muitos 'nãos', por isso passa um filme na cabeça. Até hoje não caiu minha ficha", revela.

A campeã destaca a evolução pelo qual passou a corrida de rua, que atualmente abrange um público muito mais diverso e empolgado. "Hoje trabalhando com meu esposo Paulinho, vejo que é muito bom ver muitas famílias participando da corrida de rua e da caminhada. Vemos pais, mães, filhos e muitas vezes levam até o cachorrinho. Cresceu muito. Na minha época eu fui a pioneira, comecei a participar de corridas e lembro que tinha só eu de mulher e o restante eram homens. Eu escutava muito que correr não era coisa para mulher, que mulher deveria ir para o fogão ou lavar roupa. Nós éramos tachadas assim e graças a Deus eu vejo que hoje tudo isso mudou, com muitas mulheres correndo e participando", analisa. 

Maria Zeferina se mostra animada com a organização da Santo Onofre e espera que o público e os participantes se divirtam na prova. "Para amanhã, estaremos aqui incentivando, torcendo, para o pessoal que vai participar. Desejamos uma boa prova a todos, lembrando que esporte é saúde, esporte é vida. Vamos convocar a população e todo mundo para participar", concluiu.

A Corrida de Santo Onofre é a prova de rua mais tradicional de Araraquara, que é disputada sempre no último dia do ano e chega à sua 41ª edição.  A prova está marcada para esta sexta-feira (31), a partir das 8h, com largada e chegada em frente ao Estádio da Fonte Luminosa.
 

Com a colaboração de Rodrigo Coutinho Sossolote