agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Dezembro fecha 708 postos de trabalho em Araraquara

Comércio Varejista foi o único que registrou saldo positivo nas contratações  
Postado em: 29/01/2018 às 15:59
Autor: Redação
Dezembro fecha 708 postos de trabalho em Araraquara

De acordo com os dados do CAGED, o mês de dezembro registrou saldo negativo de vagas no município. Ao todo foram fechados 708 postos de emprego na cidade, representando um total de 1.416 admissões e 2.124 demissões. Todos os setores, tais como indústria, construção civil, comércio, serviços e agropecuária retraíram.

“A economia lenta ao final de 2017 teve grande influência sobre os setores de Serviços e Indústria, que apresentaram os piores índices. Já o comércio, apesar do saldo também negativo, foi o setor que menos sofreu. Apenas dois postos de trabalho foram fechados”, explica Délis. No caso da agropecuária, as demissões foram ocasionadas principalmente pelo final das safras.

Ao comparar os dados de emprego dos anos de 2016 e 2017, o saldo final do ano passado ainda é um pouco melhor. Os setores que mostraram uma melhora na comparação anual foram: Indústria, Construção Civil e Agropecuária. O único setor que fechou com um resultado mais positivo em 2016 foi o de Serviços.

Ainda de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apurados pelo Núcleo de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), o comércio varejista de Araraquara abriu oito postos de trabalho em dezembro de 2017. Esse foi o único setor que apresentou resultado positivo.

Segundo Délis Magalhães, economista do Sindicato, o resultado foi principalmente influenciado pelo segmento de lojas de vestuário, tecido e calçados que registrou um aumento de 32 vagas com carteira assinada. “O segmento costuma ter um bom desempenho no final do ano, pois os itens estão entre os preferidos do consumidor para presentear”, diz.

O segmento que apresentou índice mais negativo foi o de Supermercados, indicando uma redução do quadro de funcionários que foram contratados para atender às demandas da época devido aos preparativos da ceia de Natal e Ano Novo. No acumulado do ano - janeiro a dezembro – foram fechadas 159 vagas no setor varejista.

Apenas o nicho de farmácias e perfumarias conseguiu manter as contratações positivas durante o ano. “Isso ocorre porque existe uma frequência por parte do consumidor na compra de remédios e medicamentos”, explica a economista.

No acumulado do ano, os setores que obtiveram maior queda nas vagas foram o de autopeças e acessórios, lojas de vestuário, tecidos e calçados e os supermercados. Apesar da recuperação nas vendas de fim do ano, o faturamento atingido não foi o suficiente para compensar os resultados negativos dos demais meses. “Ainda assim, o saldo foi um pouco mais animador em relação a 2016, quando o varejo perdeu um total de 279 vagas com carteira assinada”, comenta Délis.

 

Emprego

De acordo com os dados do CAGED, o mês de dezembro registrou saldo negativo de vagas no município. Ao todo foram fechados 708 postos de emprego na cidade, representando um total de 1.416 admissões e 2.124 demissões. Todos os setores, tais como indústria, construção civil, comércio, serviços e agropecuária retraíram.

“A economia lenta ao final de 2017 teve grande influência sobre os setores de Serviços e Indústria, que apresentaram os piores índices. Já o comércio, apesar do saldo também negativo, foi o setor que menos sofreu. Apenas dois postos de trabalho foram fechados”, explica Délis. No caso da agropecuária, as demissões foram ocasionadas principalmente pelo final das safras.

Ao comparar os dados de emprego dos anos de 2016 e 2017, o saldo final do ano passado ainda é um pouco melhor. Os setores que mostraram uma melhora na comparação anual foram: Indústria, Construção Civil e Agropecuária. O único setor que fechou com um resultado mais positivo em 2016 foi o de Serviços.