agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Árbitros de handebol são afastados por racismo contra técnico de Araraquara

Prefeitura de Araraquara também se manifestou sobre o caso ocorrido em Sorocaba
Postado em: 17/09/2021 às 23:06
Autor: Redação
Árbitros de handebol são afastados por racismo contra técnico de Araraquara
Handebol de Araraquara disputa Campeonato Brasileiro em Sorocaba. Foto: Fundesport

Dois árbitros foram afastados pela Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) por comentários com teor racista e homofóbico contra Robison Santos, técnico do Unicesumar/Sesi/Fundesport, time que representa Araraquara nas competições estaduais e nacionais da modalidade. Em partida contra o Centro Olímpico, válida pelo Campeonato Brasileiro Junior Feminino e realizada na última quarta-feira (16) em Sorocaba, a transmissão ao vivo pelo Instagram captou conversas entre os árbitros que trabalhavam como mesários da partida. Entre os diálogos estavam insinuações de cunho racista contra o treinador de Araraquara e comentários em tom de assédio sexual sobre uma atleta da equipe. Também foram feitos comentários sobre as atletas do Centro Olímpico, que, segundo os árbitros, eram magras e engordaram.

A repercussão dos comentários foi imediata e a CBHb foi pressionada a tirar os árbitros de Sorocaba, onde estavam hospedados no mesmo hotel que as delegações dos times. Pouco depois, o vídeo da transmissão foi retirado do ar. Felipe Rêgo Barros, presidente da CBHb, emitiu uma nota onde afirma que a entidade afastou os árbitros em definitivo da competição e de forma cautelar do quadro da confederação. Ele também revela que o caso será comunicado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). "A confederação repudia qualquer ato de preconceito e/ou desrespeito, seja dentro ou fora de quadra. Não podemos concordar ou aceitar comportamentos que não condizem com o handebol brasileiro. Como desportistas, precisamos dar exemplo e contribuir para uma sociedade cada vez mais igual e justa", disse a nota. 

A entidade que comanda a modalidade não citou os nomes dos árbitros acusados, porém a nota da Prefeitura de Araraquara revela que se trata de Adriano Alves Rocha e Zaine Roberto. A Prefeitura, por meio da Coordenadoria Étnico-Racial e Centro de Referência Afro “Mestre Jorge” e da Fundesport, comentou o ocorrido. "É com um enfrentamento sério ao racismo e a toda e qualquer forma de discriminação que conseguiremos uma sociedade em que fatos como este não mais ocorram. Estaremos alerta na defesa dos direitos pela vida", diz um trecho da publicação.

O Centro Olímpico também soltou nota de repúdio. "Tais ações não condizem com os valores repassados pelos nossos profissionais aos atletas, tampouco com o esporte. Assim sendo, esta entidade adotará as providências cabíveis à Confederação Brasileira de Handebol para que tais profissionais não voltem a atuar em eventos com a participação de nossos atletas", destacou. 

Na quinta-feira (16), dia seguinte ao fato, as atletas se ajoelharam antes da partida e levantaram os pulsos em sinal de protesto. Pelas redes sociais, diversas equipes declararam solidariedade ao treinador e às atletas e manifestaram repúdio às atitudes dos árbitros. Confira abaixos as notas oficiais na íntegra:


NOTA DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL

A Confederação Brasileira de Handebol comunica que tomou conhecimento dos fatos envolvendo dois árbitros da CBHb durante a realização do Campeonato Brasileiro Júnior Feminino, na cidade de Sorocaba, nesta semana. De forma preventiva, foram adotadas as seguintes providências.

- Afastou os envolvidos em definitivo da competição;

- Cautelarmente, afastou também do quadro de árbitros da CBHb;

- Determinou que a diretora do Comitê de Política para as Mulheres do Handebol, Lucila Vianna, destaque um representante do Comitê para acompanhar de perto todo o caso e emita um relatório final com análise de todo o processo e iniciativas que devem ser tomadas para evitar a repetição dos fatos.

Além disso, a Confederação comunicará o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por meio da Procuradoria de Justiça Desportiva, para que ocorra a apuração e, se necessário, o julgamento do caso de forma justa, segundo o que rege o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, sem prejuízos de outras possíveis providências judiciais que a entidade julgue cabíveis no decorrer da apuração dos fatos.

A Confederação repudia qualquer ato de preconceito e/ou desrespeito, seja dentro ou fora de quadra. Não podemos concordar ou aceitar comportamentos que não condizem com o handebol brasileiro. Como desportistas, precisamos dar exemplo e contribuir para uma sociedade cada vez mais igual e justa. 

A CBHb se coloca à disposição de todos que estão participando do Campeonato Brasileiro Júnior Feminino para contribuir com o que for necessário.

Felipe Rêgo Barros – Presidente da CBHb

 

NOTA DA PREFEITURA DE ARARAQUARA

A Prefeitura Municipal de Araraquara, através da Coordenadoria de Políticas Étnico-Raciais e do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge”, e a Fundesport Araraquara repudiam veementemente a injúria racial proferida pelos árbitros Adriano Alves Rocha e Zaine Roberto durante o Campeonato Brasileiro Júnior de Handebol, que ocorre em Sorocaba, no período de 14 a 18 de setembro.

De forma racista e preconceituosa, eles ofenderam o técnico da equipe feminina araraquarense Robison Francisco dos Santos com xingamentos e várias insinuações de caráter racista. A Prefeitura repudia ainda a forma como as jogadoras de handebol foram igualmente maltratadas e ofendidas, vítimas de uma cultura machista.

A Coordenadoria e o Centro Afro, bem como a Fundesport, ratificam que todas as providências cabíveis estão sendo tomadas para que não haja impunidade. Não pouparemos esforços para combater quaisquer ações de violência e crimes de ódio que tentem ofuscar a luta de cidadãos e cidadãs que só querem ter o direito de viver em paz.

Solidarizamo-nos com o técnico Robison, com as demais jogadoras e com todas as pessoas que são inevitavelmente atingidas cada vez que um episódio como esse acontece.

É com um enfrentamento sério ao racismo e a toda e qualquer forma de discriminação que conseguiremos uma sociedade em que fatos como este não mais ocorram. Estaremos alerta na defesa dos direitos pela vida.
 

Coordenadoria Étnico-Racial e Centro de Referência Afro “Mestre Jorge”

Fundesport Araraquara

Prefeitura de Araraquara

 


NOTA DO CENTRO OLÍMPICO

O Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), na condição de participante do Campeonato Brasileiro Júnior de Handebol Feminino, vem a público repudiar os atos ocorridos na competição, na cidade de Sorocaba, em que atletas da nossa equipe foram vítimas de comentários machistas, desairosos e inconvenientes proferidos por dois integrantes do corpo de arbitragem.

A equipe do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa não compactua com atos de preconceito sobre qualquer classe ou grupo social. 

Tais ações não condizem com os valores repassados pelos nossos profissionais aos atletas, tampouco com o esporte. Assim sendo, esta entidade adotará as providências cabíveis à Confederação Brasileira de Handebol para que tais profissionais não voltem a atuar em eventos com a participação de nossos atletas. Finalizando, o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa coloca-se à disposição das atletas e comissão técnica para qualquer suporte necessário dentro das atribuições deste equipamento esportivo.