agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Brasileiros chegam a PyeongChang para as Paralimpíadas de Inverno

Aline Rocha, Cristian Ribera e André Cintra chegaram neste sábado, 3, à Coreia do Sul
Postado em: 05/03/2018 às 01:09
Autor: Redação
Brasileiros chegam a PyeongChang para as Paralimpíadas de Inverno
Aline Rocha, Cristian Ribera e André Cintra estão prontos para os Jogos. Foto: CPB

A delegação brasileira que disputa os Jogos Paralímpicos de Inverno de PyeongChang 2018 já se encontra em solo coreano. A paranaense Aline Rocha e o rondoniense Cristian Ribera, do esqui cross-country, e o paulista André Cintra, do snowboard, desembarcaram na manhã deste sabado, 3, na Coreia do Sul, e já estão instalados na Vila dos Atletas. Esta será a segunda participação do Brasil na história do evento. A competição terá disputas de 10 a 18 de março, com abertura oficial no dia 9.
 
Os esquiadores Aline e Cristian fizeram a aclimatação para os Jogos em Livigno, na Itália. Já o snowboarder Andre escolheu Aomori, no Japão, para o período de treinos. Neste sábado, 3, os representantes brasileiros se encontraram na Coreia e ocuparam seus devidos lugares na Vila dos Atletas, localizada no cluster da montanha de PyeongChang e perto das arenas de snowboard e de esqui cross-country.
 
"É uma emoção enorme chegar aqui e ver que o sonho, finalmente, se realizou. Poder ser a primeira mulher brasileira a disputar os Jogos Paralímpicos de Inverno e estar em mais uma Paralimpíada me deixa muito feliz", comentou Aline, 27 anos, que também esteve nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016, onde competiu no atletismo.   
 
No total, o Brasil conta com uma delegação de 12 pessoas em PyeongChang: são três atletas, um chefe de missão, um attaché, um oficial administrativo, um coordenador médico, um fisioterapeuta, um técnico de snowboard, um técnico de cera e dois técnicos de esqui cross-country. A equipe ocupa três quartos da Vila, um consultório médico e um escritório.  
 
A estreia brasileira nos Jogos será com a dupla do esqui cross-country, na noite do dia 10 (horário de Brasília). Já o snowboarder Andre compete em sua primeira prova no dia seguinte, 11, também no período noturno (horário de Brasília). No total, os representantes do país disputarão medalhas em 10 ocasiões.
 
Os Jogos Paralímpicos de Inverno de PyeongChang 2018 reunirão mais de 650 atletas de 46 nações. Além do snowboard e do esqui cross-country, estão no programa nesta edição o biatlo, o esqui alpino, o curling em cadeira de rodas e o hóquei em trenó. Serão disputadas medalhas em 80 eventos. Toda a competição terá transmisão ao vivo pelo site (paralympic.org) e pelo canal do YouTube (youtube.com/ParalympicSportTV) do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês).
 

PERFIL DOS ATLETAS

Aline Rocha – Pinhão (PR)
Data de nascimento: 20/02/1991
Peso: 38 kg
Altura: 1,53
Classe: LW11 (sitting)
Modalidade: esqui cross-country
História: Aline sofreu um acidente de carro aos 15 anos que lhe causou uma lesão medular e a perda dos movimentos das pernas. Iniciou sua trajetória no esporte praticando atletismo, quatro anos após ter se acidentado. Há pouco mais de um ano, passou, também, a competir na neve, já que os movimentos do esqui cross country eram parecidos com o da corrida em cadeira de rodas. Participou dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 no atletismo.   
 
Cristian Ribera – Cerejeiras (RO)
Data de nascimento: 13/11/2002
Peso: 45 kg
Altura: 1,60m
Classe: LW11 (sitting)
Modalidade: esqui cross-country
História: Cristian nasceu com artrogripose – doença congênita das articulações das extremidades – e, em busca de tratamento, mudou-se de Rondônia para São Paulo. Aos 15 anos, já passou por 21 cirurgias para a correção das pernas e hoje, além do esqui cross-country, também faz natação, atletismo e anda de skate.
 
André Cintra – São Paulo (SP)
Data de nascimento: 22/03/1979
Peso: 77kg
Altura: 1,80m
Classe: LL1 – lower limb impaired (deficiência nos membros inferiores)
Modalidade: Snowboard
História: Aos 17 anos, André sofreu um acidente de moto e teve que amputar a perna direita um pouco acima do joelho. Em 2010, se interessou pelo snowboard e resolveu se aventurar no esporte. Ele foi o primeiro atleta brasileiro a conseguir se classificar para os Jogos Paralímpicos de Sochi, em 2014, quando o Brasil fez sua estreia na competição de inverno.