Rita Clemente interpreta “Amanda” em monólogo no SESC

No palco, a partir do texto de Jô Bilac, a atriz vive uma mulher que aos poucos vai perdendo todos os sentidos

Compartilhe

Rita Clemente interpreta “Amanda” em monólogo no SESC
Imagem: Bianca Aun

 

O Sesc Araraquara apresente neste sábado (22), às 20 horas, o espetáculo de teatro “Amanda”, com a atriz e diretora Rita Clemente, um dos nomes mais respeitados da atualidade no cenário das artes cênicas de Minas Gerais e do país. O texto, recheado de humor e tragédia, é do carioca Jô Bilac, e a direção é compartilhada entre Diogo Liberano e Rita Clemente. Os ingressos já estão disponíveis para compra e variam entre R$5 e R$17. A peça fala da luta de Amanda (Rita Clemente), que perde gradativamente os sentidos. Quando falham audição, paladar, olfato, tato e visão, a memória se mostra sua companheira, ressignificando seu cotidiano.

Perdas sempre nos impactam. Perder um familiar, emprego, bens: não dá para dizer que são perdas que satisfazem, à primeira vista. Mas “Amanda”, tem um olhar afetuoso para os sentidos que estão se esvaindo de seu corpo. Audição, paladar, olfato, tato e visão vão deixando de existir. O que lhe resta é a memória, que legitima sua existência/resistência diante de tudo.

O espetáculo começa com uma carta, escrita pela personagem, endereçada à atriz, e lida para a plateia. Dali em diante, o ficcional é o real, Amanda é o foco, corpo, espírito e personalidade da cena. Mas o quanto existe de Rita em Amanda? O quão intensamente Amanda impacta Rita no palco (e fora dele)? No palco, a ficção é Rita e a realidade, Amanda. Atriz e personagem travam um diálogo subliminar.

“As perdas são como um alerta do quanto desejamos viver, e Amanda nos mostra a vontade e a determinação de sempre continuar, apesar de tudo, apesar do todo”, explica a atriz. A dramaturgia de Jô Bilac coloca em jogo as relações sociais, o automatismo cotidiano; o esforço do ser humano em se manter ligado a seu grupo de amigos e família mesmo diante da mais alta “deficiência” destas relações. “Amanda” não abre mão de fazer parte da vida daqueles que ama e sua deficiência a leva a redescobrir como fazer isso.

 

Sobre Rita Clemente

Graduada em Música pela UEMG e formada em Teatro pelo CEFAR/Palácio das Artes, sua trajetória profissional dá indícios que a intermidialidade é uma das marcas do seu trabalho.Ao se responsabilizar pela direção geral, concepção e atuação desse espetáculo, evidencia que seu fazer teatral está alinhado a um modo particular de produção, que se distancia de um certo modelo que pode haver no mercado.

Uma das marcas do trabalho de Rita Clemente é a musicalidade sempre presente em suas montagens. A trilha sonora, original, é mais um dos textos paralelos que dialogam entre si. Humor e tragicidade são marcas da escrita de Jô Bilac, hoje o autor de teatro mais celebrado do Brasil e, mesmo jovem, tem consolidado uma carreira brilhante já com uma vasta obra premiada.

Rita Clemente foi Indicada ao Prêmio Shell SP e Qualidade Brasil SP, em 2008, pela direção de “Amores surdos” (Grupo Espanca!); desenvolve também um trabalho autoral baseado no diálogo entre teatro e música, como em sua abordagem do texto “Dias Felizes” de Samuel Beckett (Prêmio Usiminas Simparc de Melhor Figurino, assinado por ela, e indicado em cinco categorias ao Prêmio Questão de Crítica (Ganhando como Melhor direção). Nos últimos anos, assinou a direção de espetáculos de importantes grupos mineiros e outras entidades, como o espetáculo “Nesta data querida” (Cia. Luna Lunera); ”Rubros” (de Adélia Nicolete); “O rinoceronte”, no Cefar/2007/ Palácio das Artes; “Amores surdos” (Grupo Espanca!), e “Dias de verão” (O Clube). Em 2012, coordenou a Edição Comemorativa de 15 Anos do Oficina Galpão Cine Horto, no Espaço Cultural do Grupo Galpão, assinando a direção do espetáculo “Delírio e vertigem”, com textos curtos de Jô Bilac e direção de arte de Luciana Buarque. Na televisão, estreou no seriado “A cura”, em 2010, com direção de Ricardo Waddington e fez parte do elenco da novela “A vida da gente” (2011-2012). Também fez parte do elenco de "Liberdade Liberdade", direção Vinicius Coimbra, da TV Globo.

 

Serviços

Espetáculo de Teatro “Amanda”

Dia: 22/4, sábado

Horário: 20h

Local: Teatro

Classificação:14 anos

 

Ingressos:

R$ 5,00 (Credencial Plena);

R$ 8,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante);

R$ 17,00(Inteira / Credencial Atividades).