agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Entretenimento
FALE COM A REDAÇÃO:

Prefeitura chilena desiste de entregar prêmio a atriz trans de filme ganhador do Oscar

Por: BBC Brasil
Postado em: 08/03/2018 às 16:06
Autor: Redação
Prefeitura chilena desiste de entregar prêmio a atriz trans de filme ganhador do Oscar

A atriz transexual chilena Daniela Vega, estrela de Uma Mulher Fantástica, ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro no último domingo, não pode receber o prêmio de cidadã ilustre da sua cidade natal. O prefeito de Ñuñoa, um distrito de Santiago, disse que não poderia entregar o título porque nos documentos da atriz constam seu nome de nascimento, masculino.

"A quem estaremos entregando o prêmio? Se temos a identidade de um homem, não podemos entregá-lo a uma mulher", disse o prefeito Andrés Zarhi, diante das câmeras de televisão, na última terça-feira, para quando estava marcada a cerimônia para agraciar Daniela. A atriz foi a primeira transexual a figurar entre o time de apresentadores do Oscar.

No mesmo dia previsto para a premiação em Ñuñoa, Daniela foi recebida pela presidente do Chile, Michelle Bachelet. Na saída do encontro, Daniela criticou a legislação do país, que não permite a mudança de nome no documento. "Na minha identidade tem um nome que não é meu, porque o país onde nasci não me dá a possibilidade (de mudar o nome nos documentos). O tempo vai passando e estamos esperando".

Em 2013, Bachelet enviou ao Congresso chileno um projeto de lei de identidade de gênero, que permite a mudança do nome no documento. Mas ainda falta a aprovação do Senado. Após o encontro com Daniela, Bachelet pediu urgência para a apreciação da medida. A presidente chilena passará o comando do país a seu opositor Sebastián Piñera no próximo domingo.

No filme Uma Mulher Fantástica, Daniela interpreta a transexual Marina, que precisa encarar a conservadora sociedade chilena. Após a morte de seu companheiro, que deixou a família tradicional para ficar com ela, Marina é apontada como suspeita e proibida de ir ao funeral. A atriz de 28 anos assumiu que é trans na adolescência.

 

Prêmio cancelado

O Conselho Municipal de Ñuñoa tinha preparado a cerimônia de entrega do título para Daniela na segunda-feira, um dia após o Oscar, gerando expectativa entre os moradores locais, segundo a imprensa chilena. Mas no dia seguinte, o prefeito, que tinha lançado a ideia, voltou atrás.

Para compensar, a municipalidade criou outro prêmio para a atriz, chamado "Premio Comunal a las Artes" (prêmio municipal às artes).

Nas redes sociais, a decisão do prefeito gerou polêmicas. "Uma pena. No fim, o prefeito não propôs o nome de Daniela Vega para cidadã ilustre", escreveu a usuária Patricia Hidalgo.

 

Embaixadora trans

Nas redes sociais, Bachelet disse que o filme Uma Mulher Fantástica "estimulou o debate sobre avanços sociais que o Chile precisa". Para o diretor do filme, Sebastián Lelio, Daniela Vega passou a ser "uma embaixadora (deste tema)".

O produtor executivo da TVN (Televisão Nacional de Chile), Rony Goldschmied, disse que o filme contribui para o debate sobre gênero no Chile. "Nossa audiência foi fortíssima no dia da entrega do Oscar. Mesmo aqueles que são contra a questão de gênero torceram e aplaudiram o filme. O debate (sobre identidade de gênero) acabou ganhando força através da arte", disse.

A atriz, por sua vez, afirmou ainda que as pessoas trans sempre existiram - "desde o primeiro dia da humanidade" - e que o filme questiona o amor e suas barreiras.

Em sua conta no Twitter, Daniela rebateu um elogio da Universidade Católica do Chile, que lembrou que seu primeiro filme foi feito por ex-alunos da instituição de ensino: "Em vez de me darem os parabéns, abram a universidade à diversidade. Quantos alunos trans estudam aí?".