agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Cultura
FALE COM A REDAÇÃO:

Trupe da Lona Preta se apresenta no SESC

Inspirado nas charangas, farsas e bufonarias, espetáculo abre alas para a palhaçaria
Postado em: 20/02/2018 às 09:28
Autor: Redação
Trupe da Lona Preta se apresenta no SESC

Tudo pode acontece quando dois palhaços expulsos do picadeiro tentam a recontratação a qualquer custo. Assim, de forma divertida e inusitada, o Sesc Araraquara retorna com as atrações do Projeto Quintas de Circo. Quem abre esta programação é a Trupe da Lona Preta, na quinta-feira (22), com seu novo espetáculo O Circo Fubanguinho,  inspirado nas charangas, farsas e bufonarias.

Em Circo Fubanguinho, as palhaçadas e músicas se baseiam nas tradições populares com ênfase nos seus aspectos sociais, históricos e políticos, dando continuidade à linha de pesquisa da trupe, que preza por colher o mais saudável da tradição, ou, pra ser mais exato, extrair o núcleo sadio do senso comum. Na peça, motivados por interesses antagônicos, o dono do circo e os funcionários formam um pólo contraditório. O primeiro representando ordem, elegância, produtividade e eficiência; os segundos, símbolos de marginalidade, ineficiência e improdutividade. Daí, da contradição, se extrai os elementos mais valiosos das cenas.

“Na construção do roteiro, na elaboração das figuras, nas piadas, na escolha e nas composições musicais, fazemos um recorte que considera, respeita e ressalta o ponto de vista da luta, da organização e das contradições da nossa classe. Como ponto de contato entre teoria social e prática teatral os palhaços atuam nos limites dos instintos mais básicos do ser humano: morar, comer, vestir, reproduzir. Dimensões humanas permanentemente ameaçadas e vilipendiadas pela ordem vigente”, explicam.

Em "O Circo Fubanguinho" opera-se na tensão de seduzir e estranhar. Seduz para estranhar. Por isso se misturam elementos do palhaço e do bufão. O primeiro aproxima o espectador: é um ser que quer se enquadrar, que tenta mas não consegue se adaptar; o segundo, o bufão, estranha, não se adapta, não pode e não quer. Nessa fricção e na troca com o público o riso é extraído da desestabilização da ordem vigente, ou da sua insuficiência e da corrosão da ordem imposta pela verdade oficial.

 

Serviço

Espetáculo Fubanguinho

Dia: 22/2, quinta

Horário: 20h

Local: Convivência

Classificação: Livre

Grátis